Me deu vontade de gritar ao mundo, toda a minha experiência com drogas, ao absurdo que essa escolha me levou. Não vou poupar palavras, palavrões, sentimentos, nenhum deles, todos seram ditos sem a menor maquiagem, afinal se não poupei minha vida, não será agora que vou medir palavras.

Tudo que ler é a mais pura verdade, como vivo agora e muitos momentos de meus diários, escrevi tudo esses anos todos. Não vou citar nomes verdadeiros, nem o meu, muito menos os daqueles que comigo dividiram esses 26 de vida no uso ativo de drogas. As informações que eu omitir será apenas para evitar que invadam minha privacidade, minha vida no momento.

Não sei que ordem vou dar a cada postagem, não sei se vou seguir ordem cronólogica. Vai assim do jeito que eu sentir vontade de contar. (Desculpem, se na forma de redigir contém erros seja eles quais forem eu sei que é agradável aos olhos ler algo sem erros, mas como não sou escritora e estou mais atenta aos sentimentos, é bem provável que vá acontecer mas vou tentar me policiar).

Caso queiram entrar em contato, para dúvidas, perguntas, alguma curiosidade - email:
existenciaativa@hotmail.com

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Números, dados

Hoje tenho 44 anos, a menos de 2 parei de usar droga, passei por todos os infernos, me enfiei em todo tipo de roubada, vivi anos na merda, por causa dessa curiosidade de adolescente. Foram 26 anos de uso de drogas, não foram consecutivos,  pq durante 4 anos eu fiquei limpa, mas voltei ao uso então são na verdade 22 anos de droga pelo corpo, pelo cérebro, nas emoções, sentimentos e ações. Tudo ou recheado ou coberto ou camuflado com toda variedade de droga, com exceção de chá de cogumelo e heroína, o resto experimentei de tudo, me viciei em cocaína e maconha. Ah! maconha não vicia?, não vicia um caramba! substitui no desespero qualquer droga mais forte pela maconha e veja se não vai viciar.
 Experimenta fumar desde a hora que acorda até a hora de dormir, não pq queira, mas pq o corpo pede e a dor física e tanto que você atende. Não dá outra! Vicia e muito. É doença, não tem cura.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Você tem a minha idade: 44 anos.

    Precisei usar remédios controlados. Sofri o inferno quando precisei parar por causa de gravidez.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Lily
    Eu tb sofri na gravidez, entendo perfeitamente o que fala, mas somos fortes..rs.

    ResponderExcluir
  4. Queria te mandar um email, como faço?

    ResponderExcluir
  5. Oi Anônimo,

    Meu email é: existenciaativa@hotmail.com

    Fique a vontade para escrever.

    Abraço.






























































    ResponderExcluir