Me deu vontade de gritar ao mundo, toda a minha experiência com drogas, ao absurdo que essa escolha me levou. Não vou poupar palavras, palavrões, sentimentos, nenhum deles, todos seram ditos sem a menor maquiagem, afinal se não poupei minha vida, não será agora que vou medir palavras.

Tudo que ler é a mais pura verdade, como vivo agora e muitos momentos de meus diários, escrevi tudo esses anos todos. Não vou citar nomes verdadeiros, nem o meu, muito menos os daqueles que comigo dividiram esses 26 de vida no uso ativo de drogas. As informações que eu omitir será apenas para evitar que invadam minha privacidade, minha vida no momento.

Não sei que ordem vou dar a cada postagem, não sei se vou seguir ordem cronólogica. Vai assim do jeito que eu sentir vontade de contar. (Desculpem, se na forma de redigir contém erros seja eles quais forem eu sei que é agradável aos olhos ler algo sem erros, mas como não sou escritora e estou mais atenta aos sentimentos, é bem provável que vá acontecer mas vou tentar me policiar).

Caso queiram entrar em contato, para dúvidas, perguntas, alguma curiosidade - email:
existenciaativa@hotmail.com

sábado, 9 de outubro de 2010

Mentira!!

Fico muito irritada quando leio algo dizendo que maconha não é tão inofensiva!. O que passa na cabeça de pessoas que dizem que ela não é tão prejudicial quanto o cigarro por exemplo, sei que quimicamente falando o cigarro e mais prejudicial, mas psicologicamente a maconha destrói neurônios, destrói a memória, acaba com o convívio social. Quem diz isso nunca teve uma experiência próxima, com um compulsivo, no caso eu uma compulsiva. E ela juntamente com a bebida são as portas abertas pra outras drogas mais fortes. Não inocentem a maconha é graças a ela que hoje tenho enorme dificuldade de concentração, memória? oque é isso?..rs, Dou risada porque aprendi a conviver com a doença que tenho. Mas não tem a menor graça destruir a capacitade psicologica, por conta da maldita maconha, que de inocente não tem nada.

8 comentários:

  1. Li as tuas postagem...posso te dizer que aos 15 anos tambem experimentei uns charros...mas confesso que não gostei...e hoje passado o dobro da idade tenho colegas meus que ainda o fazem...e para te dizer a verdade eu afasto me deles...veem com a tal historia de que não vicia...blablabla...o que é certo é que não passam sem isso!
    A ti dou te os meus parabens por te teres afastado desse maldito vicio...e desejo que tenhas sempre coragem para lhe dizeres NÃO!!
    Beijo d'anjo

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga, só se destroi quem quer , mesmo com más companhias. Temos de ter força , moral e coragem para nos afastarmos , não só de droga como muitas outras coisas.

    Tenho na familia quem já esteve dependente de drogas duras, hoje afastou-se disso , mas , por vontade propria .

    É feliz e consegue desviar outros...

    Olhe em frente e vida a vida , mas , com os pés assentes no chão.

    Beijo Não tenho intenção ao escrever isto de a criticar , cada qual é cada qual , mas ,
    admiro a sua coragem em se " expor ".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Don Juan,

      Me desculpa, mas são pessoas iguais a vc, que tantas vezes me fez mal, quando eu ainda estava no uso, porque ouvia coisas assim e me perguntava, porque então que eu não consigo parar?.. Devo ser uma fraca mesmo!
      Hoje eu sei que não é bem assim, você faz parte do percentual que não se vicia e eu estou justamente do outro lado.
      E só questão de informação e saberá me entender melhor. Assim como eu te entendo.

      Excluir
  3. maconha vicia SIM...É O PRIMEIRO passo...a primeira porta que se abre...começa sempre na brincadeira...e depois se quer mais um, mais um e mais um...e os anos se passam e a vida passa...e este cigarrinho do capeta trás junto dele um pacote de outras drogas...SOU CONTRA.
    Vamos buscar o prazer em outras coisas, vamos nos entregar ao esporte, aos estudos, em fazer o bem para quem precisa, vamos amar muito...

    beijos em você, minha querida!


    beijos com muito amor!!

    Bia

    ResponderExcluir
  4. Entendo a tua revolta, mas pra mim é muito revltante também ver inúmeras propagandas de cigarro na TV, trocentas pessoas fumando a qualquer hora em qualquer lugar, soltando baforadas na cara dos outros, enquanto a maconha, ah, a maconha tem que ser escondidinha, porque a lei não permite. Tenho certeza de que quem é dependente químico se vicia em qualquer coisa, até em folha de bananeira, se bobear. Mas pelo menos a maconha só faz mal pra quem fuma, e não pra quem está do lado. Já o cigarro...

    Outro exemplo: o álcool. Você mesma falou, MACONHA E ÁLCOOL são as portas de entrada para drogas mais pesadas. E digo mais: se a maconha propicia o 'contato', o álcool propicia o vício em si... a maioria das pessoas que se descobrem dependentes químicas em algum momento da vida, começaram pelo uso abusivo de álcool. Além de ser, estatisticamente falando, um dos vícios de mais difícil recuperação. E ainda assim, entramos em um supermercado e temos prateleiras e mais prateleiras com todas as variações possíveis de bebida alcoólica, prontas para serem levadas pra casa. E a maconha é proibida!

    (Não vou nem falar daqueles que sustentam seus vícios com medicamentos. Receitinha médica é fácil fácil de conseguir, para qualquer coisa que se queira. Sou farmacêutica, então sei do que tô falando, é uma vergonha.)

    Eu não inocento a maconha, de forma alguma, mas me irrito profundamente com a hipocrisia e a falta de coerência que existe na legislação brasileira em relação a esse assunto. Não vejo motivo nenhum para a maconha ser proibida enquanto o cigarro e o álcool tomam conta dos corpos por aí a fora.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Larissa,

    Eu particularmente sou contra a liberação das drogas ( apenas de ter pessoas que acham que liberando teria um controle e acabaria com o narcotrafico). Tenho duvida, o ideal seria que não existissem, mas já que estão ai. Sou contra a liberação, pode até ser que acabem com o narcotrafico, mas não diminui a doença, não cura os dontes, adictos como eu. O grande mal da maconha é a esquizofrenia com o uso continuo, sei do que falo, pois, cheguei lá. Mas isso ninguém fala ou percebe nas primeiras ou esporadicas "viajens" que fazem.
    Quanto a tua observação concordo totalmente cigarro é outra merda faz mal pra mim (eu ainda fumo cigarro) e por ventura aqueles que próximo de mim estiverem, mas eu tenho essa consciência de não fumar proximo a ninguem que não fuma. Bebida então a essa á pior, me revolta ver comercail de bebidas com pessoas saudaveis e alegres, eles vendem um vicio com rotulo de felicidade, hipocrisia pura!. Hipocrisia em todos os cantos.
    Cansei das minhas e das de todos, por isso só me dou ao direito de contar somente a verdade, ao menos a minha, aqui nesse espaço.

    Beijos, gostei muito do que escreveu.

    ResponderExcluir