Me deu vontade de gritar ao mundo, toda a minha experiência com drogas, ao absurdo que essa escolha me levou. Não vou poupar palavras, palavrões, sentimentos, nenhum deles, todos seram ditos sem a menor maquiagem, afinal se não poupei minha vida, não será agora que vou medir palavras.

Tudo que ler é a mais pura verdade, como vivo agora e muitos momentos de meus diários, escrevi tudo esses anos todos. Não vou citar nomes verdadeiros, nem o meu, muito menos os daqueles que comigo dividiram esses 26 de vida no uso ativo de drogas. As informações que eu omitir será apenas para evitar que invadam minha privacidade, minha vida no momento.

Não sei que ordem vou dar a cada postagem, não sei se vou seguir ordem cronólogica. Vai assim do jeito que eu sentir vontade de contar. (Desculpem, se na forma de redigir contém erros seja eles quais forem eu sei que é agradável aos olhos ler algo sem erros, mas como não sou escritora e estou mais atenta aos sentimentos, é bem provável que vá acontecer mas vou tentar me policiar).

Caso queiram entrar em contato, para dúvidas, perguntas, alguma curiosidade - email:
existenciaativa@hotmail.com

domingo, 24 de outubro de 2010

Crack, Cocaína injetável, LSD

O crack nem tinha aparecido em São Paulo e nós já tínhamos aprendido como fazer usando cocaína e outras substâncias, foi a primeira vez. Usei crack por mais 4 vezes em momentos distintos da minha vida, e na última vez que usei, eu disse não quero essa droga, e nem foi por questão de consciência que o crack é a droga mais devastadora que eu já conheci, foi porque eu achei muito trabalhoso, muita sujeira muita cinza de cigarro e acima de tudo porque a reação não durava mais que 5 minutos e uma fissura absurda tomava conta logo em seguida. Todos os usuários, de qualquer droga sofrem quando o vicio toma contas, mas o usuario de crack e tomado por "cegueira" total. Decidi que essa droga eu não ia usar e graças a Deus não usei, hoje vejo como vivem os dependentes de crack e agradeço mil vezes!.

Tomei por muito tempo cocaína injetável (baque, era chamado assim). Eu e a Lua num belo dia com um monte de cocaína na mão, mas cansada de ficar cheirando, tivemos a brilhante idéia de tomar baque, fomos à farmácia, compramos seringas (grinfa, esse era o nome) e voltamos pra casa dela. Colher, liquido pra diluir, grinfa cheia, garrote no braço, e o baque aconteceu. A coisa é tão louca, que eu tive a sensação de ter sido jogada pra trás, numa velocidade muito rápida, um bem estar, uma energia, que poucas vezes senti usando qualquer outra droga em qualquer forma.
Só parei de usar baque porque isso me obrigava a viver de manga comprida, eu não podia, afinal eu tinha que manter a aparência. Mas isso muitos anos depois quando meus braços estavam todos feridos sem um lugar sequer pra uma picada, tanto que tenho cicatriz até hoje.
Hoje: Me diz, isso não era completa insanidade! Podíamos errar uma artéria, podia tudo de mal acontecer, mais uma vez tive sorte, em não pegar aids porque sempre tive o cuidado de tomar com grinfa minha, nunca troquei com ninguém, mas não escapei de uma anemia, doença comum aos viciados.

Minha experiência com LSD. Se tem uma droga que na época eu dizia pra todos, não toma isso! Essa “viagem” é uma “roubada”, foi o Lsd. Perde-se completamente o controle, eu queira voltar pra realidade e não conseguia, passei três dias na casa de uma amiga, andando por lugares que não faço idéia. Tudo começou no Bar, quando uns “gringos” apareceram com uma cartela (parecia uma folha de papel sulfite) cheia de pequenos quadradinhos e eu ganhei um desses quadradinhos e foi uma das viagens mais estranhas da minha vida. Fiquei com muito medo de nunca mais voltar, não quero falar muito disso. Pesadelo!

Estou falando disso porque só assim posso ter explicação pro que veio depois.

33 comentários:

  1. Olá, minha querida amiga Vida!
    Espero que seu final de semana tenha sido gostoso!
    Realmente uma droga puxa a outra e o que dizem por aí é mesmo verdade...
    Incrível como as drogas são mais fortes do que o nosso controle...e muito louco sua decisão por não usar o crack!....graças a Deus...pois como você disse:fazia uma sujeirada imensa, e a sensação não durava mais de 5 minutos...

    Te pergunto: O AMOR de um ser humano por um adicto não pode ser maior para ele do que a sensação de prazer ao usar drogas??As drogas são MAIORES do que tudo??

    beijos em você, moça bonita!

    Bia

    ResponderExcluir
  2. Vida,

    Anteriormente eu te fiz uma pergunta dificil e polemica, do gostar.
    Agora eu continuo achando interessante o fato de apesar da compulsividade no uso das drogas, você continuava seletiva. Você cortou o LSD, o crack e parou com o baque, por causa da bandeira.
    Me parece que durante todo esse tempo você se mantinha lucida, não é verdade?

    bjo

    ResponderExcluir
  3. Oi Bia,
    Foi sim final de semna de recuperação, muito bom.
    Infelismente não. Não existe amor de familia, mulher ou homem que nós tire da droga, sabe porque? Porque nós não nos amamos. O amor externo e bem vindo e necessario é ponto de referencia, mas não ajuda a parar de usar droga. As drogas são sim Bia, a vontade, compulsão, na verdade a doença mesmo é tão grande que é maior que nos mesmos, quanto mais os outros.
    Beijos, espero que tenha tido tb um bom final de semana e desejo uma semana de serenidade, coragem e sabedoria.

    ___________________________________________

    Oi Lufe,
    rs.. to aqui pensando como te responder.. bem.. sempre fui seletiva sim, e ainda sou. Eu me importava em manter a aparência eu não queria aquela decadência total que eu assistia em filmes como da Cristiane F., por ex. Eu não queria que meus pais soubessem, etc.
    Vc tem razão, consegui no meio da insanidade toda, manter uma certa luz de bom senso, mas sabe Lufe acho que no fundo sempre me senti meia "rejeitada" auto estima abaixo do pé, sempre odiei que falassem de mim, sem que me conhecessem. E eu não queria dar motivo pra ninguem me apontar, pra me julgarem, um psicologo deve explicar melhor..rs. Mas ainda tenho coisas à contar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ola, muito prazer,
    Eu vi seu blog em um dos blogs qe sigo, e esto lendo trechos de sua historia.
    Quando uma historia é real, o desenvolver da leitura é maravilhosa. Voce escreve divinamente tudo que viveu. Tudo muito esclarecido, vincado.

    Li trechos em que voce diz que nao trabalha por via do seu problema, mas te devo comprimentar pois voce tem um grande talento para escrever e de seguro tudo isto podera virar um Best Seller, se alguma editora acreditar.
    Principalmente porque depois de tudo, voce buscou a liberdade e o crescimento, amadurecendo e fazendo muitos que se viciam acreditarem, que existe sim uma luz la no fundo!
    Parabéns!

    Eu também escrevo, mas escrevo romances, poemas.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Eu também ja usei varisos tipos de drogas, inclusive crack e baque, ainda luto contra elas, mas ainda assim quando eu vejo uma seringa ou agulha me da um "frio" na barriga. Mas estou bem, qse 2 anos sem, NA me ajudou mto, mas principalmente minha força de vontade. Muito bom seu blog !

    ResponderExcluir
  6. Oi Anônimo,

    Tb sinto esse frio, o conheço..rs.
    Mas, hoje ele vem acompanhado de um enorme medo!

    Sim, o querer e nossa melhor arma.
    Obrigada pelo elogio.

    ResponderExcluir
  7. Olá, não sei bem o que dizer, luto contra a cocaína injetável a mais de dois anos. Coisas tais como ser ver todo machucado e inchado pelo pico, ou princípios de overdoses, nunca foram capazes de me ajudar a parar. Usei cocaína inalada durante trés anos e quando já estava tomado pela coriza, decidi injetar. Vicie-me no primeiro pico, pois como disse, é uma força megatronica. Eu me picava até vinte vezes por dia. Fiquei doente, perdi meu trabalho que era ótimo e todos os relacionamentos. Conclusão: Fali em todas as esferas da vida. Passei por quatro internações e depois de um ano, com o vício mais ou menos controlado, comprei uma passagem de avião e estou a um ano e dois meses longe de todos.Eu não sei como estou, depois de todo esse tempo, tive duas fortes recaídas,uma no último sábado e a outra hoje. Ao longo desse tempo, já passei por psiquiatras,psicólogos,palestras e medicamentos, nada dessas coisas adiantaram. Hoje sei que estar sem usar não é sinônimo de estar curado e é justamente isso que me faz sofrer. Não sei me sentir curado.Estou triste pq apesar de estar longe de todos que conheço, não fui capaz de fugir de mim mesmo. Mas no entanto, muito obrigado pois eu estava sem sono e com o braço doendo e ao entrar na internet e procurar pelo tema acabei encontrando esse blogger. Só sei dizer que é uma luta desumana. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André são 3 e 40 da manhã, lendo vc e pensando...que já estive tantas vezes nesse mesmo lugar que vc está, com essa mesma sensação de impotência, sentindo o quanto e desumano essa doença, essa dor maldita de estar no uso e não suportar, mas ao mesmo tempo não resistir, meus braços até doem, parece brincadeira, mas vc sabe que não é.
      Vamos ser realistas?!..rs
      Não da pra sofrer por algo que não tem cura, infelizmente ser dependente químico, como nós somos, não há cura. Mas há controle, é possível estacionar essa maldita doença. Eu sei sou prova disso. Então não deve se preocupar com cura e sim como não usar mais, um dia de cada vez. E como a diabetes por exemplo e nem por isso o diabético vai se entupir de açúcar porque não tem cura, é insano isso. Aceitar o controle e voltar a viver.
      "fugir de você mesmo" é justamente o contrário, você precisa se encontrar e não fugir, eu sei que quando fala dessa fuga e dessa pessoa que você reconhece quando usa, sei. Mas você precisa conhecer o André limpo. Mas não basta parar de usar, tem que mudar muita coisa.
      Vou falar por mim, tentar ser mais clara.
      Quando eu cheguei numa sala de NA eu achava que o meu problema era somente os drogas. O meu corpo, emocional, psicológico, espiritual, tudo destruído, mas eu só via nisso a consequência das drogas. Aos poucos fui percebendo que o problema maior era eu mesma, a droga era a minha fuga, o meu ato de covardia, por não saber lidar com a realidade, com a vida. Porque eu não sabia ( e ainda não sei muitas vezes) lidar com os meus sentimentos. Quantas vezes eu usei sem querer usar, porque acontecia algum problema, podia ser uma briga, me sentia carente, perdida, sem conseguir trabalhar. Qualquer coisa que para uma pessoa "normal" e corriqueira e ela resolve de um jeito ou de outro, mas não foge, resolve. E o que eu fazia? Fugia. Como? usando droga, porque a minha inabilidade de lidar com os meus sentimentos, com qualquer problema era imensa. E o meio mais fácil de fugir de mim mesma era me drogando e com isso só aumentar esse circulo maldito do uso.
      Primeiro passo, admitir que sou impotente perante as drogas, isso é a base de tudo é fundamental na minha vida.
      Não sei porque vc recaiu, mas depois de tudo que já passou e por tanto tratamento, provavelmente não é porque vc ainda se sinta bem com a reação, eu acredito que deve ter sido alguma tristeza, angustia, vazio, esse maldito vazio que consome, pessoas como vc e eu. Então, não fuja de vc, ao contrário se encontre.
      Vc precisa aprender, entender, conhecer..etc a tua compulsão, nossa doença é movida pela compulsão, essa vontade que nos cega e faz a gente se matar aos poucos, admita que vc é impotente, entenda que precisa ter controle sobre essa ansiedade, essa vontade.
      Vc fez uma fuja geográfica, mas a doença está em vc, e só vai sair dela, pedindo ajuda,
      Se tua vontade é parar, parar mesmo, sozinho vc não vai conseguir, eu me achava capaz e tentei por anos, mas não deu, só me afundei mais e mais, pedi ajuda dos meus iguais, pessoa igual a vc, que sabe o que falo. Fica mais fácil ser aceito como sou, com minhas insanidades, sequelas, dificuldades e não ser criticada, nem apontada. Fica fácil não usar só por hoje, amanha não importa, mas só por hoje.
      Vontade vem, mas passa e de vontade eu nunca morri e nem vc vai morrer.

      Nossa já falei muito..rs
      Mas, o teu comentário mexeu muito comigo, me identifiquei e doeu.
      O meu email esta ai no blog, fique a vontade pra escrever, ler o blog todo, ver como sai disso.
      Como estou limpa e consciente que não quero usar mais (so por hoje) a 3 anos 6 meses e 19 dias.
      Junto podemos, acredita. Se de uma chance. Não importa se foi internado mil vezes, o que importa e querer viver, se encontrar e tua vontade que vai te curar. Não sei se pude ajudar, espero que sim, depois de tanto falar..rs
      Fica bem, fica com Deus(a fé do teu entendimento)um grande abraço.
      Vida F.

      Excluir
  8. Olá, tudo isso é verdade, mas entendo que a vontade pode ser traiçoeira e não representar na totalidade a vontade almejada de alguém, embora também seja vontade, ela é almejada, o que não representa a vontade presente do ser. Penso que a vontade presente, tenha ela a qualidade que tiver, torna-se no presente, a vontade do ser. Ontem, em continuidade, tive uma vontade astronômica de me picar e consequentemente fiz de mim uma peneira. Acabei indo para a noite, totalmente atormentado em uma sala de NA e mais tarde ainda em um posto de saúde. sei que estes foram os resultados, mas no entanto, de uma vontade verdadeira. Hoje de manha, quando já começava a procurar as veias que me sobraram, procurei ir em uma sala de NA na hora do almoço, lá chegando, na hora de minha partilha, pude então perceber(sei que diz em encontrar a vontade, mas note, quando não se tem opções de "vontade" fica difícil encontrar "aquela vontade ideal" e é aqui que quero chegar) que o problema não era a droga ou a recaídas. O terreno para todas essas coisas, consistia em eu não haver formulado em todo ano que passou, um plano consistente, que me permitisse focalizar algo, uma direção concreta, que me levasse a ver significado em minha vida ou até mesmo que me permitisse enxergar com nitidez a direção para onde estou seguindo. Não descobri a América, mas vejo que sem uma configuração bem planejada, que possa dar significado para minha vida e me permitir ver com nitidez o farol para o qual estou seguindo, nunca, nem nada poderá me ajudar a me libertar disso. A falta de uma direção verdadeira, abre campo para o desanimo, para a depressão e para a "vontade" de reaver antigos prazeres, pois na falta destes, a mente pede pelos prazeres artificiais que são capazes de dar prazeres em uma vida sem prazer, ainda,é claro, que isso custe a destruição. Embora seja assim, hoje tenho certeza que a mente não se preocupa com a "fonte" do prazer. Pra dizer a verdade, a mente é um buraco negro, só quer receber, não importa a fonte. Logo me vejo com duas mentes, a que quer receber a todo custo e a que procura contrapor, navegando por águas mais tranquilas(não estou conseguindo usar as palavras corretas, é um pouco complicado). No entanto, a que só quer receber, procura arrastar a outra a todo custo, enquanto esta, além de contrapor sua irmã, ainda precisa manter os olhos no farol, mas não há um farol! acho que essa é a questão chave.
    Desculpa, não queria ficar filosofando, mas acho que isso é muito mais do que filosofia, é bem real, ao menos pra mim. Agora resta saber se serei capar de formular um bom plano e segui-lo. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu filosofo tanto, Andre que me vejo muitas vezes, sem usar, mas não na recuperação sugerida. E nisso vem alguém de NA e me diz, faça o simples! Eu digo mais sou intensa, gosto de questionar, aprender, querer entender, não gosto somente da fé gosto tb da ciência...A pessoa me diz: Depois! Vc pode filosofar, questionar o que bem entender, mas antes, o simples! Os passos; o que é sugerido; a entrega.
      Vc conhece NA, em uma parte da literatura diz que há algo dentro de nós que grita pelo fracasso, acho que isso é uma forma "poética" para interpretar a grande verdade de um DQ, que é a de que, nosso cérebro sente prazer com a droga, o que vc diz dessa disputa entre “seus eus", penso que tem a ver com isso, o meu organismo me diz eu quero, mas o meu sentimento me diz que não, penso que isso já é meio caminho andando, abrir os olhos, não deixo mais a minha vontade cega me levar dou lugar aos meus sentimentos, pois esse já não quer mais usar droga nenhuma, quanto ao cérebro... bem a ciência que faça seu avanço, não vou mais pagar para ver. A traição da vontade está justamente ai, entre o que o cérebro interpreta como prazer, e o que a vida nós mostra, que esse prazer, não é mais prazeroso, é prejudicial. Essa traição é interna, André..pensa na confusão..rs
      Que bom que vc percebe que o fato de não traçado metas é possivelmente a causa da tua recaída, NA em peso diria não tenha duvida foi isso mesmo. Você sabe o que fazer , tem a resposta “um plano consistente...”. E exatamente isso. Ação.
      Penso que na tua atual situação (lógico que falo superficialmente, afinal pouco te conheço) é, parar de usar com a ajuda é ferramentas que possui, admitir tua impotência, fazer um primeiro passo consistente, fazer o simples que sugerem, no mais o tempo vai mostrar, ações são necessárias sim, vc sabe que NA não consiste só em reuniões, muitos eventos acontecem o tempo todo, já foi em algum encontro? Encontemas, encompasso, dias de passos? Se não foi, vá é muito gratificante, é muito bom, os passo para a vida pessoal vão acontecer naturalmente. Deixe-os cuidarem de vc , muda o foco.
      Se quiser mesmo estacionar tua doença. Não se questione muito, não fique no “porque do porque”, se entrega de verdade. Faça o sugerido, vai funcionar. Esse é o único plano bom que vejo nesse momento.
      Vou te dizer algo pessoal, se depender da minha vontade, faço o oposto do que NA me sugere, pois, tenho grande dificuldade em seguir grupos agregadores, também não via e muitas vezes não vejo farol algum em muitas áreas da minha vida (nesse momento passo por uma situação difícil), mas não vou fugir dela usando novamente e me digo, “vem problema, vem que quero te resolver” Peço ajuda as pessoas que me identifico, não sou muito de partilhar, só quando algo de verdade me incomoda ou alegra, mas, ouço tudo com muita atenção e carinho, sempre me ajudam, creio que naquelas salas há um Poder do bem sim, não questiono. Faço parte do HI, hoje mesmo estive em uma clinica. Vou ficar questionando pra que? Pra usar isso como desculpa mesmo que inconsciente pra recair? Simplesmente acredito, porque tenho essa vontade de mudança. Porque cansei. Muitas vezes não acreditei, mas voltei e mesmo discordando de muitas coisas, porque devo ser chata mesmo..rs, funcionou.
      Como dizem nas salas, é apenas minha sugestão, não sei se era isso que queria ler, mais é o que tenho pra escrever no momento ( até essas frases feitas me cansam. Rebelde eu..rs).
      E por falar nelas tenha uma que gosto muito: de vontade ninguém morre, nem eu, nem vc.
      Um grande abraço
      Vida F.

      Excluir
  9. Deixe-me falar por parte, vc diz muitas coisas ao mesmo tempo. tenho que te ler e pensar. Eu sei que todos estes assuntos são como planetas de um sistema e o cerne, o foco, é a estrela maior. Quando amanhecer, fará um pouco mais de 48h que estou acordado. Esta noite(permita-me falar sobre isso, é sinistro, mas é real) apesar de esta totalmente lúcido, quando fecho os olhos, fico vendo os fleches da minha procura desesperada por encontrar uma veia, pois como meus vasos estão contraídos, é muito difícil achar. Devido a isso, a substancia vai se contaminando com sangue e tende a se coagular dentro da seringa e se eu não encontrar um vaso antes disso, eu perco a substancia, com isso eu entro em desespero e vou me furando de modo frenético, ver o sangue encher a seringa é como ver o petróleo jorrar. O resultado disso é deixar o banheiro podre de sangue. Agora, quando fecho os olhos, vejo isso, sinto tremores e agonia, não sei de desejando ou repudiando. Daí não conseguir dormir. Embora um ano antes eu sentisse a mesma coisa entrando em banheiros públicos, sentindo cheiro de éter, usando pasta de dente ou até mesmo demorando os olhos sobre qualquer veia, minha ou não, hoje isso tem um peso diferente, mas me atormenta da mesma forma.
    É verdade, quado eu disse formular um plano, é justamente isso(agora que vc deu nome a isso) sair do campo do pensamento, da oratória, da retórica e da tréplica. Eu tenho dezenas de pensamentos e idéias, nenhuma delas materializadas. Com isso entro em depressão por não estar realizando nenhuma dessas coisas que trago comigo, mas no entanto, não creio que seja só isso. Nesse ponto preciso falar da direção, do farol. Quando me internei pela primeira vez um uma clinica em São Paulo, Fui diagnosticado como tendo déficit de atenção e hiper atividade,
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. não sei se isso é verdade, mas foto é que muito antes disso ocorreram fatos que talvez hoje sejam fundamentos pelos quais devo começar. Por exemplo, certa vez comecei a praticar pintura a óleo, o primeiro quadrinho que era de 20x30 saiu horrível, mas a quinta tela que foi a pintura de uma favela em tela de 50x60, eu expus em um atelier e vendi para um casal de holandeses. O que acha então que aconteceu? desenternecei e passei a dedicar-me a fotografia, no primeiro ensaio que fiz de umas raízes e areia(inclusive essa foto minha que aí esta é uma delas)foram todas vendidas para escritórios de arq para ambientação(a pessoa que ficou com esses aquivos me disse que a dois meses atrás reeditou as fotos e vendeu tudo de novo). E depois disso? Também abandonei para dedicar-me ao meu livro. Livro que aliais só tem trinta e poucas paginas e o resto só na minha cabeça. Passei oito meses, oito horas diárias na frente do computador para juntar mais de cem mil aquivo em pesquisas, condicionado em quase três mil pastas para ficarem aqui, criando ferrugem digital. E não falarei dos planos de negócios e por aí vai. Bom, mas agora, voltando a falar "do sair do mundo do pensamento" acho, não sei ao certo, estou a descobrir, que quando começo a materializar algo, falta saber para onde estou indo com aquilo, e se aquilo não é a força dominante e sim só um aditivo, qual é o substrato que segura tudo isso? aqui esta onde me perco, eu não sei, quando eu não sei eu me paraliso, a paralisia me da agonia e a agonia me da depressão, por sua vez a depressão é para mim uma ausência total de prazer pela vida, ausência total de prazer pela vida demanda um prazer nem que seja artificial e aí eu fico como aqueles caos correndo atrás do rabo.
    desculpe por esta falando tudo isso, acho que estou cansado e mentalmente empenado por causa do sono.
    Quanto ao seu problema, vc se saíra bem, mas pense se vale a pena pensar no pensamento que diz que sempre temos as respostas para nossas próprias perguntas. Apesar de ter dito tudo isso, eu sei as respostas de cô e sautiado, o que busco agora é como implementá-las. Já frequentei muitos lugares e como somos indivíduos totalmente diferentes uns dos outros, cada um com necessidades diferentes, penso que todos esses "credos" são necessários, se assim não fora, para que ter os estudos divididos por fases, rs.

    ResponderExcluir
  11. rs.. devo ser prolixa na escrita, no falar não, falo pouco.
    Mas a intenção é somente ajudar.

    Você descreveu o que passo no momento (falei um pouco disso na minha penúltima postagem). Essa total apatia, falta de prazer pela vida. Só não vou usar mais droga por conta disso...Se encontrar uma solução para esse desinteresse existencial por favor, me fala..rsrs

    Somos seres únicos sim, mas temos uma doença em comum e os sintomas são os mesmos.

    Descanse,
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Oi gente eu li bastante comentário sobre este assunto tão triste que tira o meu sono,sou casada a 4 anos com um usuário de cocaína,quando o conheci ele já usava,mais o meu desejo é tão grande de vê-lo bem que me casei na esperança de ele mudar,pois ele se converteu ao evangelho e ficou sem usar por quase 4 anos,e hoje ele se afastou dos caminhos do Senhor e voltou a usar,ele trabalha a noite,ele é vigilante e eu tenho quase certeza de que ele usa no trabalho,vivo 24hs desconfiada dele,ele vive com problemas nasal,isso me irrita e chega a me dar nojo!Não sei dizer ao certo o que ele é,ou o grau de vicio que ele tem,pois ele consegue ficar um tempo sem usar,as vezes meses ou semanas...Têm dias que ele chega do serviço e não dorme,eu não entendo isso pois a pessoa passa a noite sem dormir e quando chega não tem sono?!Já passei por poucas e boas com ele,ele não faz nada comigo graças a Deus é uma boa pessoa mais infelizmente tem este vicio maldito.Teve momentos que ele já mais ficou quase 24 hs sem dar noticia,este é um dos piores momentos,pois não sei se esta vivo ou morto,muitas vezes tive e tenho vontade de me separar,mais ao mesmo tempo sei que ele precisa de ajuda,ele já ficou internado varias vezes mais sempre tem aquela tal recaída infeliz que todos falam,ele só precisa de um motivo,como por exemplo uma briga,um desanimo,algo que o entristeça para que ele vem recair.TUDO o que eu mais quero nessa vida é que ele seja liberto deste mal de uma vez por todas,pois tenho um filho de 2 anos e não quero que ele veja ou saiba o que o pai dele faz.Eu sei que o meu Deus pode tirar ele dessa mais ele tem que querer isso,pois Deus não obriga e nem força ninguém a nada.Este é apenas um pequeno desabafo meu diante de tantas coisas vividas,um abraço a todos fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  13. Gostei de ler seu blog. Nunca usei crack, creio que nunca precisei, ou foi por medo ou falta de oportunidade mesmo, rs. Mas é interessante como vc conseguiu e queria mantar as aparências tomando baque. Eu estou/estava a mais de um ano sem usar drogas, só bebendo, e sempre bebi muito, tanto que digo que (Nunca tive problemas com as drogas, só com o alcoolismo). Parece engraçado, não? Mas isso só rendeu tds as perdas que os vícios podem trazer. Semana passada usei cocaína, na verdade era uma grande porcaria... 4,5 gramas, quatro pinos e meio - que nem usei tudo, de tão ruim. Tanto que nem passou pela minha cabeça injetar. Enfim, parece que a cocaína em si, faz parte de mim, eu vejo ela, eu sinto ela, é como ela conversasse comigo, entende? Nunca usei LSD, não sou fã da maconha, mas comia cocaína. Gostaria que as pessoas fizessem blogs e falassem de suas experiências, sem medo de julgamentos, porque sei que tem muita gente que procuram esses sites só p jugarem, e não conseguem entender como é a vida de um drogadoooo(a)!!! Não gosto de termo dependente, é como se a gente fosse cobaias de clínicas, coisa que não somos, porque acredito na tese de um homem chamado Keih Richards - 'Oh, é viciado(a) em cocaína!'. O vício em cocaína não existe. É um hábito. Se te puserem em uma ilha deserta sem nada, você vai superar. Vai dormir muito, provavelmente vai querer comer muito, mas vai superar. O único vício verdadeiro, o pesado de verdade, é a heroína. E provavelmente o álcool.

    Leia um pouco sobre esse músico, creio que vc vai gostar. E não é porque gosto dos STONES, sou fã de rock estou puxando o saco... Mas, usei Heroína 1 vez no RS, foi numa excursão, cheirei, não tive coragem de injetar, sabia dos risco, mas posso afirmar que foi a melhor sensação do mundo. Nunca mais tive acesso, mas tenho certeza se usa-se mais 1 ou 2 vezes me viciaria loucamente. E como citei o alcoolismo meu um pouco mais em cima, não consigo largar ele, por isso acredito na tese, e aprende muito com Keirh Richrds. Um cara de intende de drogas, uma lenda urbana.

    Espero que vc esteja bem, fique na paz e com deus menina. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Azia Richards,

      Vejo o álcool como droga, igualmente droga, altera o humor é droga (falando de mim).
      rs.. mas sou dependente, está dependência está estacionada, mas se eu voltar a usar, dependo de droga todos os dias.
      Discordo de vc, pelo menos pra adicta que sou todas as drogas, pouco importa se maconha ou heroína, trazem à tona a minha compulsão e não quero usar só uma, nem um dia só, quero me acabar todos os dias, então sim, sou viciada.
      Essas palavras todas: viciada, dependente, superei esses clichês, servem pra aumentar o vocabulário, o que incomoda nisso é o estigma que fica. mas não tenho problema em assumir de fato as características da minha doença que é a adicção. Sou adicta, em constante recuperação, mas sou.

      Quanto ao Rock! Long Live Rock and Roll!! Vivi boa parte da minha vida, a melhor dela, no meio dese movimento todo, estive em tantos show, inclusive do Stones em 95, nunca vou esquecer daquelas 5 horas de chuca, cara pra que tanta chuva..rs.. na madrugada voltei tremendo, congelada, pra casa..rsr
      Eu sei quem é Keith Richards, como não saber!!

      Droga, qualquer uma é droga! Me tirou do senso de realidade, me faz cometer insanidade é droga, isso falando de mim, da minha dificuldade em conviver com qualquer uma delas, pq quero, sempre mais.
      Se pra vc conviver com o álcool é de boa, vai ai, se uma hora quiser parar, vai pra NA, somos uma irmandade da hora..rs

      Estou bem sim, 7 anos e alguns dias limpa, sem droga alguma, a vida segue.

      Amém, fique em paz tb Abraço!!!

      Ahh.. vc viu, Axl Rose num lugar do Brian Johnson, acabou o AC/DC.. triste!! ( tb vi o show deles, foi duca!)

      Excluir
    2. Bom dia Vida F.,
      Realmente, álcool é uma droga como qualquer uma. Eu tenho uma certa dificuldade em me controlar, não conheço limites. Pelo menos com álcool, cheguei a um estágio que só paro quando o dinheiro acaba, quando estou na lona. Essa compulsão que vc disse, eu tenho muito, nem tanto com a cocaína, mas sim com álcool. Concordo com você, eu nunca fui num NA, e creio que tenho essa doença chamada adicção. Não, a convivência com álcool não é de boa pra mim, tanto que citei em minha primeira postagem que perdi TUDO o que os vícios podem tirar de uma pessoa. A minha ignorância em aceitar isso é que me atrapalha e muito. Por isso disse que gostei do seu blog, está fazendo eu mudar alguns conceitos. Sua visão sobre as coisas é incrível. Da gosto de ler.

      Falando em Rock, vivi tbm boa parte da minha vida em festivais, bares com show ao vivo, só não fui em muitos show. Na verdade fui em 2006 em Copacabana ver os Stones, e, em 2007 ver o Aerosmith no Morumbi. Duas lembranças inesquecíveis (tanto que perdi boa parte boa parte dos dois show por estar completamente dopado). rsrs Mas eu derramei lágrimas em um momento ou outro e transpirei felicidade o tempo todo. Ambos foi no mínimo mágico! Nossa, vc viu os Stones em 95? Tenho alguns conhecidos que foram, e dizem que jamais vão esquecer. Bem, em 95 eu só tinha 10 anos, nem sabia o que era Rock, rs. Não pude ir este ano ver o Stones infelizmente, mas por motivos de saúde e falta de $$$$ tbm.

      Que bom que vc está limpa a mais de 7 anos, continue assim, e vida que segue como vc mesma disse.

      Axl, adoro aquele pirado, rs. Assistir alguns vídeos pelo youtube, gostei, achei que a voz dele melhorou um pouco, embora sua voz tenha ido pro vinagre há tempos. Foi uma pena o AC/DC ter acabado, os caras na minha opinião foi uma das melhores coisas que aconteceu no mundo do rock. Eu espero não acabar como o Bon Scott.

      Bom fim de semana, fica em paz. Abraço!!!

      Excluir
    3. Oi Azia Richards,

      O Axl é legal no Guns, no Ac não, por Dios!..rs

      Eu perdi muitos momentos da minha vida, por falta de lembrança, estive lá, mas tão louca que nem sei como cheguei ou sai. E depois que eu tive perda de memória, ai lascou tudo de vez, perda essa causada pelas drogas, foi ai aos 27 anos e ai parei de beber. Fiquei com medo de esquecer o pouco que lembrava na época.

      Que bom que posso de alguma forma te alertar, porque ajuda mesmo, pra identificar se de fato é um adicto, se isso atrapalha tudo vida social, relacionamento, trabalho, etc. Só vc vai saber identificar.
      Não vai chegar o dia que vc vai dizer pra vc.. me lasquei, as drogas ganharam e vou parar agora antes que piore mais, infelizmente não é assim, geralmente vai até o limite do limite, achando que só mais um gole, só mais um dia, só mais um rolê. Até que uma hora a máquina trava de alguma forma, e no susto vc vai querer parar. Não pq a vontade de beber acabou, mas porque vc perdeu, a droga ganhou. Dramatizo, porque sendo adicta é assim, não tem conversa.

      Eu e mais um pessoal, vamos em clinicas, hospitais, psiquiatria etc, justamente pra dar esse alerta, pra ver se alguém para antes de se afundar de vez. Porque fundo de poço não é legal, conheço.. lugar horrível!

      Parei de usar com 42 anos, queria muito ter parado com 30, muito, não sei lidar com arrependimento, então prefiro aceitar e seguir, mas na boa, teria sim parado antes se eu tivesse tido alguma ajuda. Pq sozinha eu não conseguiria, como não consegui.

      Pensa ai o que vc vai fazer da tua vida. Alcoólatra vive muitos anos, mas morre aos poucos. Perde valor aos poucos.

      E viver careta é muito louco, ah é!..rs

      Abraços,
      Vida F.

      Excluir
    4. Oi Vida F.,

      Eu procurei um grupo bem legal, mas esse grupo fica em SP, e no momento estou acompanhando online. Não tenho mais pra onde ir, pra onde correr, então tenho que pelo menos tentar.

      Minha memória esta falha, tanto que esqueço coisas básicas, mesmo com medicações.

      Mas quero te agradecer pelo seu blog novamente. Foi ele que fez eu abrir minha cabeça, deixar de ser menos ignorante e procurar alguma ajuda, mesmo que ela seja em vão.

      Viver careta realmente é louco, mas sinto que sempre falta algo, rs.

      Abraços!

      Excluir
    5. Esse faltar algo é que o problema, mas com o tempo, vc preenche esse vazio, ou ao menos vai entender isso.

      Boa sorte pra vc.

      Excluir
  14. Na boa. VocÊ não viveu nada. Sinto muito por você não ''saber curtir''.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo

      "não estou procurando criticas, conselhos ou julgamentos"
      Essa frase está bem clara no meu perfil.

      E vivi pra caramba!!
      Não foi meu intuito falar dos acampamentos, roles com a turma do moto club pelo Brasil todo, risadas, família, filhas, etc, etc.. Minha vida é imensa, assim como a sua (espero).

      Mas o propósito desse blog foi falar das drogas do mal que ela causou a mim, vc é vc.

      Se vc não se identificar com adicção, não tiver conhecimento, ou não souber entender o que é um adicto, de nada serve vc me ler.

      Julgamentos eu dispenso.. porque não me acrescenta nada, absolutamente nada!


      Vai vivendo ai, boa sorte!

      Excluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Vida F.,
    tem como eu entrar em contato com você? Só fala sim ou não? Por aqui é difícil explicar tudo, e dizer o que passo de verdade. Não sei me expressar direito com palavras, mas estou passando por isso - Coming Down Again, música do KEITH, mas estou caindo na demência. Me ajude se puder, por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Azia,

      Me mande um email

      existenciaativa@hotmail.com

      Excluir
  18. Boa tarde, Vida F.,

    Como você tem passado?

    Nossa, leio e releio o seu blog, sabe aqueles livros que vc pega e lê uma vez e quer ler, ler e reler sem parar? Seu blog é mesma coisa, parece que prende a gente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Azia,

      Deve ser pela identificação..rs

      Que bom que gosta de "me ler", vc só me ajuda a ficar mais um dia limpa!
      Torço pelo teu melhor, sempre!

      Abraços

      Excluir
  19. Oi Vida F.,

    Pois é, a identificação é bem inusitada..rs

    Que vc continue limpa, e siga o mantra do ''um dia de cada vez.''

    Eu continuo na luta, amanhã mesmo vou passar por um teste de fogo. Consegui um par de ingressos para assistir ao show do Aerosmith no Allianz Parque.

    Na verdade eu já tinha comprando faz alguns meses. Guardei um dinheirinho, e consegui comprar os ingressos. O tenso é que a amiga que vai comigo ama os caras, e é mais doida que o batmam..rs

    Espero curtir só o show e não usar nada. Estou aqui em São Paulo desde segunda-feira. Passeando um pouco, fui na praça da sé, andei um pouco pela paulista, passei em frente a cracolândia, até fui com a minha amiga na bienal do livro.

    Ela me zoou: Está se sentindo um ET no meio de tantos livros, né? kkkkk De fato, me senti meio perdido, mas ao mesmo tempo me senti bem. Embora eu não ame ler, eu me interessei muito pela leitura depois que mudei para MG.

    Enfim, estou me testando. Por enquanto está tudo normal. Nem tão normal, minha vida nunca foi normal..rs

    Deixa eu perguntar. Eu te mandei uns e-mails, você não recebeu? Já faz mais de um mês. Mandei alguns dias depois do penúltimo feriado.

    Tbm torço sempre pelo teu melhor. Seu blog e você me ajuda muito.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  20. Respostas
    1. Oi Azia,

      Respondi teu email, dia desses, será que não foi.. bem mandei outro, de qualquer forma estou te lendo.

      Abraço

      Excluir
  21. Chegou, consegui abrir agora meu e-mail. Vou responder lá... Obrigado!

    ResponderExcluir